segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Finito Infinito

Quantas vezes mais encher o copo e sentir o prazer de matar a sede, até não mais?
Quantas vezes mais sentir o cheiro da sopa fervendo, até não mais?
Quantas vezes mais ouvir sua risada, até não mais?
Quantas vezes mais perceber seu olhar a me procurar, até não mais?
Quantas vezes mais sentir o vento batendo no rosto, o cheiro da noite, da manhã, até não mais?
Quantas vezes mais ouvir o mar batendo, até não mais?
Quantas vezes mais me enrrolar no cobertor, até não mais?
Quantas vezes mais lavar a roupa, a louça até não mais?
Quantas vezes mais dançar até cansar até não mais?
Quantas vezes mais deixar o Sol me esquentar, até não mais?
Quantas vezes mais chorar, rir, suspirar, gargalhar, até não mais?
Quatas vezes mais te ver escondendo a emoção, até não mais?
Quantas vezes mais sentir o seu cheiro, até não mais?
Quantas vezes mais engatar primeira, segunda, terceira, acelerar, parar, acelerar, até não mais? 
Quantas vezes ouvir suas piadas, até não mais?
Quantas vezes abraçar, até não mais?
Quantas vezes ouvir os seus passos, até não mais?
Quantas vezes picar cebola, espremer a laranja, esquentar o pão, até não mais?
Quantas vezes amar até não mais acabar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário